quinta-feira, 30 de abril de 2009

Processo Seletivo Babikers 2009 - aprovados na primeira fase

Conforme descrito no Edital do Processo Seletivo Babikers 2009, segue abaixo a lista de candidatos aprovados na primeira fase, em ordem alfabética:

1. WESLEY VIANA

Os candidatos acima estão aptos a participar da segunda fase do processo.

Atenciosamente,
Equipe Babikers.

segunda-feira, 27 de abril de 2009

Passeios Babikers em Guaxupé

De volta da Patagônia, Rafaela e Olinto estão de Motor Home estacionado no quintal da casa da Marília, em Guaxupé/MG.

E como o fim de semana teve feriado (18, 19, 20 e 21 de abril), eu e o Gerson fomos até lá matar as saudades e desfrutar da companhia desses queridos amigos.

O edital do processo seletivo Babiker diz:
"Entende-se por passeio Babiker qualquer passeio (ciclístico ou não) organizado ou frequentado por três ou mais Babikers".

Sendo assim, presentes Rafaela, Gerson e Bruna, tudo virou passeio Babiker!


Bruna, Gerson, Rafaela e Olinto, saindo da casa da Marília.


No passeio do primeiro dia saímos da casa da Marília na cidade com destino à fazenda. São apenas 7km pelo caminho mais curto, que não fizemos... Entramos pelas estradas entre as fazendas, seguindo uma planilha feita pelo Binho. E nos perdemos.




No caminho ainda furou o pneu da bicicleta do Olinto e caiu o taquinho da sapatilha do Gerson!


Que chato...


Quanto mais andávamos, mais íamos pro meio do mato. Pulamos 4 cercas com as bikes, tentamos seguir estradas que acabavam no nada... Não dava mais nem pra voltar pelo mesmo caminho. Tentamos pedir informações em umas casas, mas não tinha ninguém.
Não tiramos fotos da hora em que a estrada acabou e pedalamos pelo mato, mas imaginem, rsss.


Por fim, um trator passou e podemos pedir informações e chegar até a estrada de asfalto, ufaa... Dali pra frente seria fácil.


Chegamos na fazenda "um pouco" atrasados pra o churrasco, mas tudo bem...



O passeio do dia seguinte foi mais light, com mapa pra seguir e tudo mais...


Na terça-feira a Marília resolveu nos levar até a obra de uma casa que ela projetou (pra tirar de nós a impressão de que ela faz projetos de varandas de arquinho, hihihihi).
E fomos de bicicleta, que bom! Assim a Marília participou de seu primeiro passeio ciclístico Babiker, e foi muito bem. Andou até na terra.

video


Este lago é a vista que o cliente da Marília terá de seu quarto e do escritório... Chato, né?








E por fim... Não tem ninguém que não empurre a bicicleta nos primeiros passeios, não é?

Guaxupé é sempre muito bom... Que pena que acaba rápido.

Bruna.

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Núcleo Curucutu - Parque Estadual da Serra do Mar

No último domingo fizemos mais um ótimo passeio. Até o Núcleo Curucutu, que fica no Parque Estadual da Serra do Mar.

Saiba mais sobre ele:

NÚCLEO CURUCUTU
Parque Estadual da Serra do Mar

Localização: Estado de São Paulo
Municípios: São Paulo (5.506,97hec - 9,45%), Juquitiba (2.941,22hec - 11,08%), Itanhaém (21.094,46hec - 79,47%).
Superfície aproximada: 26.542,65 hectares.

Em 1958 a Fazenda Curucutu, produtora de carvão, foi adquirida pelo Governo do Estado e tornou os 12.029,00 hectares em Reserva Florestal, através do Serviço Florestal do Estado - Seção de Reservas da Capital, a qual além de garantir a integridade física da área, desenvolvia pesquisas objetivando a recuperação da área desflorestada com espécie de rápido crescimento, onde a partir de 1963 foram produzidas e cultivadas aproximadamente 63.000 árvores de Pinus elliopti. O nome Curucutu tem origem indígena; a região apresenta uma fauna e flora singular, com pequenos roedores, insetos e répteis endêmicos, muito apreciados por aves de rapina, em particular as de hábito noturnos. Acredita-se que, durante a migração dos índios guaranis em busca de lugares altos, ao alcançarem estes campos, no alto da Serra, depararam com enorme quantidade destas aves (corujas) e batizaram a região com algo relacionado ao local, ou seja, Curucutu - espécie de coruja. Acredita-se existirem mais de cinco espécies, entre elas a suindara com aproximadamente 60 cm de envergadura.

É onde se situam as cabeceiras dos rios Capivari, Embu-Guaçu, Itariri e Mambu. Essa crista da Serra do Mar, com mais de 800 metros de altura, é coberta por rara mata nebular, com arbustos baixos e samambaias onde se abrigam répteis, pequenos roedores e insetos raros como os gafanhotos gigantes, petiscos muito apreciados pela morucututu e suindara (dois tipos de corujas). Aberto aos visitantes ecológicos, o espaço é também usado pelos pesquisadores.

Hoje, o parque mantém somente duas trilhas abertas para os visitantes. A mais longa é a Trilha do Mirante, que leva até o topo de um morro onde está encravado o marco divisório entre os municípios de São Paulo, Itanhaém e Juquitiba. De lá de cima dá para ver o mar. Ao todo são 2.260 metros de caminhada. Lá de cima dá para ver o mar de morros e serranias e nenhum vestígio da grande metrópole. Numa elevação próxima fica uma antiga capela, usada pelos funcionários da velha fazenda de carvão para fazer suas orações. Na verdade, ali houve a destruição toda a vegetação nativa da parte continental da serra. As árvores centenárias foram arrancadas e queimadas em fornos feitos nos barrancos. Os recursos combustíveis da Mata Atlântica, na virada do século XIX, equivaliam a 6,2 bilhões de toneladas de carvão. A indústria paulista foi movida pela floresta. Hoje, dá para sentir, durante esse curto trajeto, a recuperação da mata, que já está no padrão de secundária tardia. Nesse estágio, as árvores chegam, no máximo a 10 metros. Próximo à sede do parque, no começo da trilha, existe um bosque de pinus plantado pelo governo. São cerca de 60 mil árvores de bom porte.

A segunda caminhada é pela Trilha da Bica. Segue por 1.100 metros em meio ao tapete de esporões de pinheiros até chegar a uma canaleta de bambu de onde jorra um grosso filete de água límpida, um pequeno poço com pedras no fundo. Mais acima há uma pequena cascata e também um outro poço maior.

A terceira, a Trilha do Avião, em formato circular, tem seis mil metros de percurso. Segue da sede até o topo de um morrete próximo onde caiu um avião Cessna, há alguns anos. Os destroços ainda permanecem por lá.

Na sede do parque há construções e um galpão onde são realizadas palestras e conferências sobre educação ambiental. O núcleo só dispõe de alojamento para pesquisadores. Nos arredores é possível fazer camping selvagem. A região não dispõe de bares ou restaurantes. As comunidades locais estão organizando serviços de refeições caseiras para os visitantes.

Fonte: http://www.itanhaem.sp.gov.br/secretarias/habitacao/curucutu.htm



Não sabíamos como chegar até lá. Então pelalamos até o Cipó e começamos a seguir o percurso indicado nestes mapas da rua. (Menghe, imitando a "moça do tempo")


Estrada do Mambu.



Mais estrada do Mambu. A paisagem é linda.


Até que de repente:

Itanhaém? Será possível?


Continuamos seguindo os mapas...



Até que... Chegamos!







Subindo a trilha para o mirante.


Marco divisório entre os municípios de São Paulo, Itanhaém e Juquitiba.


Mirante... Vimos o mar lá embaixo sim!!!


Nós: Bruna, Gerson, Joice, Menghe, Cleber, Wesley, Paulo Paiakan, Renato e o funcionário do núcleo Curucutu.


Descendo pela trilha da bica. Molhamos os pés.




E Jubileu, o ganso flanelinha. Cuidado com ele!

quarta-feira, 15 de abril de 2009

Processo seletivo Babikers 2009 - Candidatos

Recebemos dois vídeos de inscrição para nosso processo seletivo 2009. Por favor, deixe sua opinião sobre eles nos comentários. Os candidatos tem potencial pra fazer parte dos Babikers?

Os vídeos dispensam maiores explicações, então vamos lá:

ED CUPERTINO mandou:


O Cuper ainda não entregou o questionário obrigatório.


WEZZ VIANA mandou:


Podemos destacar algumas partes interessantes do questionário do Wesley:

..."conheço o Jorge a algum tempo e lembro que uma vez ele foi pro SENAI (se não me falha a memória) com a cara toda arrebentada.. o olho vermelho cheio de sangue.. parecia q tinham batido nele como naquele filme “Kids” (filme que por sinal marcou minha juventude.. não sei porque passam essas coisas nas escolas públicas.. rsrs)
voltando ao assunto.. naquela época uns 5 anos atrás o Jorge já andava de bike tanto que teve essa queda ai que eu pensei que ele nunca fosse se recuperar.. rsrs.."

..."não sei quando comecei a andar de bike lembro mais dos tombos.. uma vez estava descendo a milhão 'pra variar' uma rua paralela a minha rua.. e tinha um grupinho de pessoas jogando 'Voley' então eu com toda minha consciência de perigo.. pedalei mais rápido para passar logo pelo grupo que estava no meio da rua.. mas bem quando eu ia passar do lado de uma menina.. jogaram a bola pra ela.. e a bola veio na minha direção.. ela pulou na minha frente (ela estava de costas pra mim) e ai eu bati em cheio com a Bike nela.. a Bike passou por cima de nós dois e eu cai em cima da menina... eu não sofri nenhum arranhão.. já ela foi tipo o meu 'AirBag' muito triste.. muito triste.."

..."o mais interessante é q essas coisas doidas só acontecem quando estou sozinho.. por isso que eu preciso entrar no Babiker.. em grupo contenho um pouco o meu desejo de atopelar pessoas e bater em carros."

- Descreva resumidamente sua bicicleta.
"Resumidamente? tá... a Bike não é minha, é do Jorge, e ela tem cor de vomito de nenem de 3 meses e 7 dias exatamente."

- Conte uma piada de sua preferência.
"Existia um pintinho que se chamava Relan, um dia estava chovendo muito, mas muito forte e.... Relan Piou ¬¬"

quarta-feira, 8 de abril de 2009

Parque Anhanguera

Nosso último passeio foi até o Parque Anhanguera.

Andamos bastante na rodovia. O caminho foi tranquilo, mas pedalar na Anhanguera em obras não é lá muito interessante. Alguns quilometros depois, chegamos.


O parque tem uma ciclovia bem legal, arborizada...






Quem foi: Jorge, Bruna, Cleber, Fátima, Tony, Menghe, Wesley e Renato.
Cadê a mochila do Ventura??? O Menghe fez sua boa ação do dia e trocou o pneu da bike de um rapaz que estava chegando ao parque. Precisou de chave pra tirar a roda.
Trópico de Capricórnio.
Furou o pneu da minha bike também, mais um pro Menghe trocar.
Em frente ao SBT, Jorge entrevista Wesley. Acho que faz parte do vídeo que o Wesley está fazendo pra entrar pros Babikers. Será que ele consegue?

quinta-feira, 2 de abril de 2009

ESTRADA DE MANUTENÇÃO: de São Paulo a São Vicente

O passeio começou bem cedo na região do Grajaú. Como de costume, embarcamos na balsa que leva à ilha do Bororé.




Alguns quilômetros depois, a estrada de terra passa sob a Imigrantes. Subimos até ela por uma trilhazinha e continuamos, sentido litoral.


Um pouco pra frente do Rancho da Pamonha começa a estrada de manutenção. Não fomos barrados. O passeio todo foi bastante tranquilo e agradável. Sem muita pressa e sem muita demora. Dá até vontade de ir de novo na semana que vem.



Quem estava lá: Renato, Menghe, Bruna, Tony, Allyson, Ricardo, Juliano, Cupertino, Cleber e Wesley. Dez ciclistas ao todo... Quer dizer, o passeio começou com dez ciclistas... Ah, deixa pra lá!


Umas 10:30h nós já estávamos na praia, em São Vicente. Almoçamos, descansamos, conversamos, alguns entraram na água.
Depois foi só colocar as bikes no ônibus e voltar.
Bruna.